quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Atualização de patrimônio – Julho/2018


Caríssimos,

O segundo semestre chegou com tudo. As contas grandes começaram a testar a estratégia de reserva para gastos sazonais. Por enquanto, estamos passando bem.

Em função de algumas dúvidas na estruturação do portfólio, resolvi reorganizá-lo e, em função das mudanças, não postarei alguns detalhes.



As Receitas e as Despesas
A receita deste mês trouxe salário (sem aumento) e restituição do IR.

Não contabilizarei aqui os gastos de Julho, pois estou repensando o que contabilizarei como gastos e investimentos.


Aportes, Rendimentos e Dividendos do Mês
Os aportes foram em Tesouro, Ações e CDB.

Rendimentos e dividendos do Mês:
R$ 0,21 – ITUB3
R$ 3,68 – ABEV3
R$ 3,85 – BRCR11


O Patrimônio Líquido

Com a reformulação, no final das contas, meu patrimônio reduziu.

R$ 45.910,12



Aqui também não postarei os detalhes devido às mudanças.


Concluindo…
O comprometimento com alterações de hábitos está evoluindo:

Reiniciei as caminhadas. Fiz menos que a meta, mas importante foi ter retomado.

Fiquei três dias sem acrescentar açúcar ou comer doces. Fiquei satisfeito e lembrei que posso assumir o controle.

Nas finanças, pretendo concluir a reformulação do portfólio, repensando alguns conceitos que tinha estabelecido. Os investimentos também se alterarão em função disso. Explicarei no futuro.

E Agosto…?
Para o próximo mês, continuar na mudança de atitude relacionado à qualidade de vida e à saúde:
  • Dias de exercício realizados – a meta agora é realizar pelo menos um dia de caminhada por semana.
  • Alimentação – como consegui a meta inicial, que era ficar sem doce por três dias, agora vou focar na qualidade dos alimentos. Iniciar uma readequação alimentar.
  • Leitura de livros: Terminar a leitura que estou fazendo e começar outra relacionada ao mundo das finanças.

Para finalizar, faço aqui uma nota de pesar pelo falecimento do blogueiro Viver de Construção (VDC).

Comecei a acompanhar o blog do VDC no início de 2017 e, desde então, vinha aprendendo muito com o seu trabalho.

Fica aqui registrada a minha gratidão por todo o aprendizado e a esperança de que ele tenha aproveitado, em vida, o caminho percorrido durante a sua batalha em busca da independência financeira.


Um abraço a tod@s e sigamos na luta!



domingo, 15 de julho de 2018

Revisão dos Objetivos Financeiros de 2018



Conforme comentei anteriormente, aqui estou para realizar uma rápida avaliação do semestre, no qual encerrou-se no final do mês passado.

Penso que é importante pararmos para analisar o que está se passando em nossa vida. Desde que comecei a fazer isso sistematicamente, percebi uma grande evolução nos meus propósitos.

Então vamos lá…

Neste post aqui, apresentei os 10 objetivos que estabeleci financeiramente para 2018.

Recapitulando cada um, percebo a priorização que dei neste trimestre a esta área, resultando em um avanço em minhas finanças. O envolvimento com o blog tem ajudado, principalmente na visualização das metas.

Assim, comento-os, rapidamente, abaixo:

1. Atingir 70k de patrimônio líquido investido em Dezembro deste ano.
[EM ANDAMENTO] Neste ano, estabeleci uma meta de patrimônio dentro das possibilidades, diferente do ano passado. Acredito que chegarei próximo da meta, pois estou em 50k agora. Ainda faltam 20mil, com seis meses de acumulação, novas rendas extras e contas anualizadas já separadas.

2. Efetivar o fundo mensal para arcar com gastos sazonais (IPVA, seguro, depreciação, manutenção programada, registros de classe, compra de aparelhos/mobília para casa) à vista e sem tirar os valores das receitas nos meses de pagamento destes custos.
[CONSOLIDADO] Uma das responsáveis por minha tranquilidade financeira é esta estratégia. Além de pagar estas contas à vista e juntar um dinheiro para gastos futuros importantes, posso rentabilizar este dinheiro. Tenho uma organização conservadora das finanças e priorizo esta tranquilidade.

3. Poupar, limitando os gastos em até 55% da receita mensal (já contabilizando a mensalização de gastos sazonais).
[CONSOLIDADO] O estabelecimento da estratégia citada acima, facilita a noção do que vou gastar mensalmente/anualmente. Os gastos têm girado em torno de 53% e tomo isso como uma vitória, já que há menos de dois anos atrás, esse percentual girava em torno dos 100%.

4. Investir 100% das receitas salariais extras.

[CONSOLIDADO] Por enquanto, 100% das receitas extras foram investidas.

5. Aproximar meu portfólio a uma carteira com os seguintes percentuais em cada tipo de ativo: 50% RF, 30% ações, 15% FII, 5% Criptomoeda.

[EM ANDAMENTO] Com mais de 80% do portfólio alocado em renda fixa, chego à metade do ano com um bom desafio: chegar a alocação desejada. Saí de 10% em renda variável em janeiro e estou avançando aos poucos, pois não quero fazer grandes movimentos. 
Com a renda extra, tive a oportunidade de adiantar a acumulação em renda variável. Veremos até o final do ano, como chegarei.

6. Definir a Carteira de Ações e dividir, inicialmente, os aportes em 5-7% entre as empresas.
[EM ANDAMENTO] Nos últimos dois meses, a queda da cotação das empresas na bolsa me impeliu a investir mais em determinadas empresas, como Itaú, Grendene e Kroton. Acredito que, no futuro, esta estratégia possa trazer alguns resultados. No resto, tenho buscado este objetivo.

7. Estudar e ampliar a carteira de Fundos de Investimentos Imobiliário, combinando com aportes em Ações ao longo do ano.
[EM ANDAMENTO] Venho estudando as ações mais do que os Fundos de Investimento Imobiliários. Por isso, tenho apenas um fundo na carteira. Quero entrar de uma forma mais tranquila e com um conhecimento mais consolidado. Pretendo, até o final do ano, comprar outros FII além do BRCR.

8. Aumentar a reserva de emergência para 5x os gastos, pensando em tê-la como reserva de emergência e de oportunidades. Caso utilize este fundo, repor o dinheiro assim que possível.
[EM ANDAMENTO] No início do ano estipulei uma meta para aumentar, paulatinamente, a reserva de emergência. Também a qualifiquei como reserva de emergência e de oportunidades, caso precisasse para comprar algum ativo em “promoção”. Não comecei a aumentar, mas, quando a utilizei, em maio, para comprar ações da M. Dias Branco, repus no mês seguinte. Serviu bem, por enquanto.

9. Avaliar a compra de criptomoedas, limitando a alocação em até 5% do portfólio.
[INICIAR] O único objetivo que estou procrastinando. No meu ver, este seria um bom momento para entrar. Porém, preciso estudar um pouco mais a ideia…mas que o preço sugere compra e a mão coça…

10. Ler e estudar dois livros sobre investimento e/ou vida financeira.
[CONSOLIDADO] Neste primeiro semestre, fiz a leitura de dois livros relacionados a investimentos e à vida financeira: “Mesada não é só dinheiro”, do Reinaldo Domingos, e “Pai rico, pai pobre”, de Robert Kiyosaki e Sharon Lechter. Esta meta foi um incentivo até para retornar a ler livros com mais frequência. Pretendo continuar e pegar outras obras para conhecer ainda mais o mundo das finanças.

Considerando que foi um semestre muito bom, consolidando ou encaminhando praticamente todos os objetivos, vejo que a organização das metas é fundamental para estabelecer e alcançar objetivos, com a reavaliação periódica aumentando o seu potencial. Facilita muito o caminho rumo à independência financeira.

Ainda vou pensar nas criptos, mas dentro daquilo que fico tranquilo.

Finalizo esta avaliação, trazendo o meu destaque do semestre: a efetivação do fundo mensal para enfrentar os gastos sazonais. Esta técnica possibilitou, como já coloquei em vários posts, a tranquilidade de trabalhar, investir sem precisar ficar contando dinheiro para pagar a conta quando ela chegar.

Já utilizei o fundo em algumas oportunidades e digo que foi a melhor coisa que aconteceu.




Um abraço a todos…



sábado, 7 de julho de 2018

Atualização de patrimônio – Junho/2018



Caríssimos,


O mês de Junho já passou e, consequentemente, junto se foi o 1º semestre de 2018

Destaque do mês ficou por conta dos aportes que foram potencializados pela entrada do 13º. Foi aquela sensação de dinheiro sobrando…




Outro mês de muitas compras na bolsa. Trago, ainda, outras novidades na postagem.

As Receitas e as Despesas
A receita foi o trunfo deste mês. Resultado da entrada de parte do 13º salário. Difícil foi a organização com todo este dinheiro.




Neste mês, os gastos fecharam em torno de 56%, devolvendo o “superavit” de 1% de maio e mais 5. Boa parte disto veio pela bomba da conta de luz.




Aportes, Rendimentos e Dividendos do Mês
Dinheiro extra chegando, dinheiro extra nos investimentos.

Investir 100% das receitas salariais extras foi uma meta que estabeleci no início do ano (item 4). Objetivo, até agora, sendo cumprido!

Aproveitei o arsenal e sequência de baixa das ações na bolsa e comprei mais algumas do Itaú Unibanco e da Kroton. Além disso, fiquei sócio de mais três empresas: IRB Brasil, Porto Seguro e CVC.

Também voltei a aportar em FII, além de investir em Tesouro, LCI’s e CDB.


Eu investindo este mês


Rendimentos e dividendos do Mês:
R$ 0,21 – ITUB3
R$ 12,62 – crédito de frações da WEG, em função do desdobramento.

O Patrimônio Líquido
R$ 50.559,34


Rumo aos 60k


Acho que esta gif defini o momento. 50mil atingidos. Rumo aos 60!

Distribuição em Ativos




Renda Fixa
A renda fixa tentou puxar a rentabilidade do portfólio para cima, acumulando alta de 0,54%. A distribuição nos ativos de RF após os aportes ficou assim:




Ações
As ações da minha carteira tiveram variação de -5,32%. O portfólio tem agora treze empresas, ultrapassando os 15% da carteira total.

Neste mês me dividi em aumentar posição em ações que já possuo (ITUB3 e KROT3) e entrar como sócio em novas empresas. Analisando os fundamentos e, em alguns casos, levando em consideração a baixa da cotação, comprei novas ações: CVC Brasil, Porto Seguro e IRB Resseguridade.




Fundos de Investimento Imobiliário
Único FII na carteira, o BRCR11 teve rendimento negativo de -2,38%. A partir dos fundamentos que analisei, resolvi comprar mais sete cotas dele.


Rendimento do Portfólio e Crescimento do Patrimônio
Assim, em Junho, a carteira cresceu 11,19%, principalmente, pelo aporte (R$ 5.376,31). Já, os rendimentos recuaram o patrimônio líquido (-0,63%).

Novamente, o rendimento negativo da carteira não afeta o crescimento do patrimônio. Fruto do estudo frequente e da minha tranquilidade em investir pensando a longo prazo. Claro que o valor do aporte em relação ao patrimônio também conta. Mas...

Deixa a vida me levar


Resumo da Acumulação



Perspectivas para Julho

Em Julho, compromisso exclusivo com a mudança de atitude relacionada à qualidade de vida e à saúde. Uma alternativa que adotarei é me comprometer, aqui no blog, com a melhora de algumas variáveis. Vi isso em outros blogs e vou copiar.

Atividade física e alimentação serão meu foco. Para isso, colocarei aqui metas de saúde, quantificando a avaliação em dias de exercícios realizados e dias sem doce. Estes balizadores são pouco precisos, mas fazem a diferença no longo prazo, principalmente no estímulo à manutenção de uma qualidade de vida.

Portanto:
  • Dias de exercício realizados – meta inicial é…iniciar… portanto, três dias de caminhada no mês.
  • Dias sem doce – meta inicial, ficar três dias sem açúcar no mês.

Nas finanças, pretendo manter os investimentos de meses anteriores e diminuir os gastos, principalmente com a energia elétrica.

Quero também, ainda este mês, fazer uma avaliação do primeiro semestre de 2018. Acompanhem as postagens aqui no blog.

Um abraço e um bom Julho a tod@s!



sábado, 2 de junho de 2018

Atualização de patrimônio – Maio/2018



Maio, Maio, Maio...

Revisão do patrimônio chegando... mês marcado pela inércia, tanto pelo lado bom quanto pelo lado prejudicial: bolsa, atividade física, (não)movimento dos caminhoneiros, gasolina e muito mais.

Sem embargo, o destaque do mês foi a greve dos caminhoneiros. Momento histórico e com repercussões importantes no curto prazo.

Apesar da inércia, algumas metas do mês foram cumpridas. Em compensação, continuo abraçado na preguiça.


Eu querendo fazer atividade física e a preguiça não deixando.


No financeiro, mês de compras na Bolsa: 3 ações para incrementar o portfólio.


As Receitas e as Despesas
Como receita, a Remuneração mensal cotidiana.

Estou à procura de um projeto que possa aumentar a receita. Ideias já rondaram a prancheta, mas nada de concreto ainda. 

O tempo dispendido para o trabalho de professor diminui as possibilidades. Também quero aproveitar o tempo com a família. Assim, preciso de um projeto que funcione sem a necessidade da minha presença.




O pagamento de preços absurdos, baseado no histerismo de uma manada ignorante acerca de economia, ao que tudo indica, deixou grande parte da população ainda mais endividada neste mês. O estopim foram os aumentos da gasolina e a greve dos caminhoneiros, que provocaram desabastecimentos e consequentes corridas às compras de alimentos, combustível, entre outros.

O estudo e a compreensão razoável que tenho sobre economia me fez ficar tranquilo frente a situação. Tanto que a previsão de gastos era ficar em 50% da receita neste mês. Mas, a minha inércia frente ao desvario de muitos fez minhas despesas ficarem 1% abaixo do previsto.


Sem mais...


Fiquei impressionado com as filas nos postos e supermercados, com as pessoas pagando por uma gasolina cara e enchendo os carrinhos, sem ponderarem...


Senhora viu a capivara no supermercado e pensou: "ah, vou levar...vá que eu precise"!


Possivelmente, em outros tempos, também teria agido próximo a isso. Agradeço a conscientização que estou obtendo com o estudo e a orientação dos colegas aqui da blogosfera.

Aportes, Rendimentos e Dividendos do Mês
O reflexo desta histeria também foi vista no mercado. Aqui, sim, fui às compras. 3 Ações, Tesouro, LCI, CDB e dividendos pingando na conta da corretora!!!

Aproveitei o descontrole vendedor na bolsa e comprei mais ações da Kroton e da Grendene, com preços, na minha análise, adequados. 

Além destas, fiquei sócio da M. Dias Branco, pegando parte da reserva de emergência/oportunidades (CDB de liquidez diária) para aportar.

Neste mês, organizei um estudo mais aprofundado das empresas, observando critérios na hora da compra. Ainda preciso aprender muito sobre isso, mas já não está sendo “no olho”.

Também aportei no Tesouro para a aposentadoria e em LCI’s com perspectivas dos gastos próximos (seguro e estudos).

Rendimentos e dividendos do Mês:
R$ 0,21 – ITUB3
R$ 8,30 – KROT3
R$ 11,74 – GRND3
R$ 1,07 – BRCR11


"Very good!"


O Patrimônio Líquido

R$ 45.471,76

Divisão do Patrimônio Total


Distribuição em Ativos

Renda Fixa
Rendimento negativo em RF (-0,55%) puxado pelos títulos IPCA. A distribuição nos ativos de RF após os aportes ficou assim:



Ações
A variação da carteira de ações chegou a -12,88%. Com a entrada da MDIA, cheguei agora a dez empresas no portfólio.

Com a “oferta” da bolsa, poderia ter aumentado o número de empresas, mas, analisando os fundamentos, escolhi por aumentar a posição em Grendene e Kroton.





Fundos de Investimento Imobiliário
Na carteira de FII, BRCR11, que encolheu mais 12,46% este mês.



Rendimento do Portfólio e Crescimento do Patrimônio
Com a contabilidade de aportes (+ R$ 2.161,97) e de rendimentos (- 2,14%), a carteira cresceu 2,74%.


Por que este professor está rindo à toa?


Apesar do rendimento total ser negativo, é muito bom ver o patrimônio crescendo.

Resumo de Acumulação




Perspectivas para Junho
Para finalizar o primeiro semestre de 2018, o mês de Junho vem com tendência de manutenção dos gastos e aportes, ficando em linha com o realizado nos últimos meses.

Metas pessoais específicas serão prioridades.

Um abraço e até breve!