segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Atualização – Dezembro/2018 (Fechamento do Ano)




Saudações, amigos e amigas da Blogosfera!


Fala, seus abestadus!!


Fechando a conta e passando a régua em 2018... Foi PUXAAAAADOOO! Ano de muito trabalho, de estudos e de evolução nas finanças.

Após algumas leituras, em outros blogs e reflexões, resolvi mudar um pouco o blog, deixando apenas o lado financeiro aparecer. Isso deve ter ficado perceptível nas últimas postagens, quando parei de falar de pontos pessoais, como saúde e trabalho. Por enquanto, ficamos assim. Só finanças. Mas está é uma mudança que merece mais reflexão em 2019.

Em 2018, de positivo, além dos investimentos realizados, pude me dedicar ao estudo e à qualificação pessoal voltada à educação financeira. Também consegui consolidar o Fundo para gastos sazonais previsíveis e estou indo além. Falarei mais sobre isso, nos próximos meses.

De negativo, apenas o não alcance da meta patrimonial.

Bora lá fazer a atualização!

Receitas e Despesas
A receita foi maior este mês em função do recebimento de férias, 13º e do resultado do negócio relâmpago. As despesas representaram apenas 45% da receita, porém, neste mês, fiz alguns ajustes na contabilidade, não dando a possibilidade de estabelecer uma comparação exata com os outros meses.

Aportes
Os aportes somaram R$ 2.779,77 e foram realizados em Fundos de Investimentos Imobiliários e CDB.
Neste mês, estudei a entrada em novos fundos. Os escolhidos foram o RNGO11 e o IRDM11.

Rendimentos e Dividendos
No mês:
R$ 14,97 – ABEV3
R$ 0,51 – ITUB3
R$ 0,56 – LINX3
R$ 11,13 – PSSA3
R$ 3,90 – CVCB3
R$ 5,32 – CIEL3
R$ 3,85 – BRCR11


Total de R$ 40,24.


Money, money, money...


Patrimônio Líquido
A carteira, ao final deste ano, ficou em R$ 55.986,79. Um bom crescimento – 67% neste ano.


Professor, construindo seu patrimônio.


Enfim, 2018...

Nas finanças, este foi um ano mais tranquilo em relação ao anterior. Consolidações, aportes consistentes e frequentes, e outras situações ajudaram na construção patrimonial sólida, apesar de ainda estarmos no início.

Em relação às metas, vou lançar em outro post aquelas que atingi e as que não alcancei. Adianto que o saldo foi positivo!

Para 2019…
A expectativa é aumentar gradativamente o patrimônio, mantendo uma segurança nas finanças, sem deixar de olhar oportunidades e de buscar novas formas de receita. 

Ainda estou montando as metas para este próximo ano, a partir da avaliação das de 2018. Quando prontas, coloco aqui.

Até lá, abraços!




quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Atualização – Novembro/2018



Novembro finalizado, é hora do Professor tirar as teias do blog e mostrar o que aconteceu no mês. Resumindo: nada!




O negócio planejado não rendeu muito. O investimento foi pago e sobrou algum. Mas, a pessoa responsável pelo trabalho encontrou outro trabalho. Receberei o lucro no próximo mês.

Receitas e Despesas
A receita, portanto, veio do apenas da remuneração mensal. As despesas ficaram dentro do programado, não ultrapassando 70% da renda total.

Aportes
R$ 1.405,86 divididos em Tesouro, CDB para Reserva e Bolsa. Comprei mais ações da M Dias Branco e entrei como sócio da Cielo.

Rendimentos e Dividendos
Novembro retornou mais dividendos:
R$ 0,51 – ITUB3
R$ 9,82 – KROT3
R$ 9,23 – GRND3
R$ 5,44 – IRBR3
R$ 3,85 – BRCR11

Fechando R$ 28,85.

Patrimônio Líquido
A carteira, ao final do mês, rompeu os 50k, novamente, ficando agora em R$ 52.320,10. Um ótimo crescimento.

Para Dezembro…
A expectativa é aumentar os aportes, com a chegada de 13º entre outros. Talvez tocar nos 60k, no final das contas. Quem sabe! Aguardemos!

Até lá, abraços!



sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Atualização – Outubro/2018




Saudações!

Tirando as teias do blog!!

O mês de Outubro serviu para organizar um plano de negócio. Agora é tirar do papel a ideia e receber os rendimentos.




Receitas e Despesas
A receita teve um pequeno acréscimo este mês com uma venda.

Já as despesas ficaram dentro do programado, mas foram baixas em função da postergação do pagamento de contas.

Aportes
Exatos R$ 543,45 aportados na bolsa. Comprei ABEV. Outros investimento foram postergados para o próximo mês, também.

Rendimentos e Dividendos
Outubro repetiu Setembro:
R$ 0,51 – ITUB3
R$ 3,85 – BRCR11

No total, R$ 4,36.

Continuo entusiasmado. Novembro promete crescimento neste valor.

Patrimônio Líquido
A carteira, ao final do mês, ficou em R$ 47.512,75. Um bom crescimento. Altas expressivas da bolsa e da renda fixa somaram ao aporte deste mês.

Para Novembro
A expectativa é fazer um bom aporte até o final do mês.

Até lá! Abraços!



sábado, 13 de outubro de 2018

Atualização – Setembro/2018



Saudações a todos

Este mês, a atualização está atrasada e será relâmpago. 




Abdiquei do tempo dedicado ao blog e a outras coisas, para estudar uma nova forma de receita.

A ideia talvez não traga rendimentos imediatamente, mas estará guardada para o futuro.

Então, vamos ao que interessa!

Receitas e Despesas
Receita estável.

Despesas também. Provisões futuras deixaram esse item bem próximo das receitas.

Aportes
R$ 1.072,35 aportados. Este mês não teve saques. Recoloquei parte da reserva, reservei parte para a aposentadoria e comprei ações da Fleury.

Rendimentos e Dividendos
Se em agosto fui atropelado por um caminhão de dividendos, em setembro a coisa ficou magra.

R$ 0,51 – ITUB3
R$ 3,85 – BRCR11

No total, R$ 4,36.

Mesmo assim, continuo entusiasmado.




Patrimônio Líquido
A carteira, ao final do mês, ficou em R$ 46.012,43. Outro crescimento praticamente zero. 

Não explanarei aqui o porquê disso, pois não consegui estudar cada parte do portfólio. Mas ficarei atento ao próximo, para entender o motivo desta estagnação, mesmo aportando mensalmente.

Para Outubro…
Única meta: organizar a contabilidade!




Fico por aqui e até a próxima!!!




sábado, 8 de setembro de 2018

Atualização – Agosto/2018


Bom dia, boa tarde, boa noite!

O mês de Agosto passou voando! O trabalho, os estudos e, principalmente, a vida pessoal consumiram grande parte do mês.

Receitas e Despesas
Neste mês, a receita manteve-se estável.

As despesas também. Porém, o valor ficará acima do que vinha divulgando em função das mudanças de apresentação do portfólio, alcançando 70% da renda. Mesmo investindo os valores para pagamentos de contas futuras (provisões), contabilizei-os como gasto e não mais como investimento.

Assim, o valor investido também diminuiu. Estou procurando a melhor forma de contabilizar estes gastos/investimentos. O objetivo é não ficar reduzindo o patrimônio a todo momento quando precisar sacar os valores investidos. Ficará como uma reserva de caixa, contabilizado a parte.

Aportes
Este mês computei, no total, R$ 187,00 aportados. Saquei uma parte da reserva para alguns gastos emergenciais e comprei mais ações das Lojas Renner.

O valor do aporte reduziu drasticamente em função da mudança de contabilização, mas também por falta de tempo em alocar os valores que estão na conta. A contabilização fará também o aporte mensal variar.

Rendimentos e Dividendos
Em agosto entrou um caminhão de dividendos.

R$ 25,34 – ITUB3
R$ 4,97 – WEGE3
R$ 13,20 – KROT3
R$ 1,48 – LINX3
R$ 3,92 – UGPA3
R$ 6,58 – GRND3
R$ 14,15 – BBSE3
R$ 4,37 – BRCR11

No total, R$ 74,01.

Sei que não será assim todos os meses. Porém, é um grande estímulo a continuar aportando.

Distribuição em Ativos

Renda Fixa – Tesouro, CDB e LCI
Em relação a carteira total, a Renda Fixa reduziu o seu tamanho para 75,76% (era em torno de 80%). A sua rentabilidade ficou em 0,36%, ficando assim distribuída.






Ações
Com mais de 20% da carteira, as ações apresentaram rendimento negativo de 8,21%. Aqui, quero estudar sobre os ajustes em função de proventos. Possivelmente estes valores se alterarão.




Fundos de Investimento Imobiliário
Ainda com somente um Fundo, o BRCR11, os FII mantém 2,17% do total da carteira, apresentando em agosto um rendimento de 1,64%.

Criptomoedas
São 1,93% do portfólio.

Patrimônio Líquido
Desta maneira, a posição da carteira ao final do mês ficou em R$ 45.910,29. Um crescimento praticamente zero.

Os 17 centavos a mais do que o mês passado é explicado na rentabilidade negativa das ações e das criptos que empataram o aporte.

Acumulado Anual



Para Setembro…
No financeiro, teremos um mês normal, com foco em continuar aportando e organizando as finanças.

No resto, ainda preciso pensar…

Fico por aqui. Até a próxima!!!



quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Atualização de patrimônio – Julho/2018


Caríssimos,

O segundo semestre chegou com tudo. As contas grandes começaram a testar a estratégia de reserva para gastos sazonais. Por enquanto, estamos passando bem.

Em função de algumas dúvidas na estruturação do portfólio, resolvi reorganizá-lo e, em função das mudanças, não postarei alguns detalhes.



As Receitas e as Despesas
A receita deste mês trouxe salário (sem aumento) e restituição do IR.

Não contabilizarei aqui os gastos de Julho, pois estou repensando o que contabilizarei como gastos e investimentos.


Aportes, Rendimentos e Dividendos do Mês
Os aportes foram em Tesouro, Ações e CDB.

Rendimentos e dividendos do Mês:
R$ 0,21 – ITUB3
R$ 3,68 – ABEV3
R$ 3,85 – BRCR11


O Patrimônio Líquido

Com a reformulação, no final das contas, meu patrimônio reduziu.

R$ 45.910,12



Aqui também não postarei os detalhes devido às mudanças.


Concluindo…
O comprometimento com alterações de hábitos está evoluindo:

Reiniciei as caminhadas. Fiz menos que a meta, mas importante foi ter retomado.

Fiquei três dias sem acrescentar açúcar ou comer doces. Fiquei satisfeito e lembrei que posso assumir o controle.

Nas finanças, pretendo concluir a reformulação do portfólio, repensando alguns conceitos que tinha estabelecido. Os investimentos também se alterarão em função disso. Explicarei no futuro.

E Agosto…?
Para o próximo mês, continuar na mudança de atitude relacionado à qualidade de vida e à saúde:
  • Dias de exercício realizados – a meta agora é realizar pelo menos um dia de caminhada por semana.
  • Alimentação – como consegui a meta inicial, que era ficar sem doce por três dias, agora vou focar na qualidade dos alimentos. Iniciar uma readequação alimentar.
  • Leitura de livros: Terminar a leitura que estou fazendo e começar outra relacionada ao mundo das finanças.

Para finalizar, faço aqui uma nota de pesar pelo falecimento do blogueiro Viver de Construção (VDC).

Comecei a acompanhar o blog do VDC no início de 2017 e, desde então, vinha aprendendo muito com o seu trabalho.

Fica aqui registrada a minha gratidão por todo o aprendizado e a esperança de que ele tenha aproveitado, em vida, o caminho percorrido durante a sua batalha em busca da independência financeira.


Um abraço a tod@s e sigamos na luta!



domingo, 15 de julho de 2018

Revisão dos Objetivos Financeiros de 2018



Conforme comentei anteriormente, aqui estou para realizar uma rápida avaliação do semestre, no qual encerrou-se no final do mês passado.

Penso que é importante pararmos para analisar o que está se passando em nossa vida. Desde que comecei a fazer isso sistematicamente, percebi uma grande evolução nos meus propósitos.

Então vamos lá…

Neste post aqui, apresentei os 10 objetivos que estabeleci financeiramente para 2018.

Recapitulando cada um, percebo a priorização que dei neste trimestre a esta área, resultando em um avanço em minhas finanças. O envolvimento com o blog tem ajudado, principalmente na visualização das metas.

Assim, comento-os, rapidamente, abaixo:

1. Atingir 70k de patrimônio líquido investido em Dezembro deste ano.
[EM ANDAMENTO] Neste ano, estabeleci uma meta de patrimônio dentro das possibilidades, diferente do ano passado. Acredito que chegarei próximo da meta, pois estou em 50k agora. Ainda faltam 20mil, com seis meses de acumulação, novas rendas extras e contas anualizadas já separadas.

2. Efetivar o fundo mensal para arcar com gastos sazonais (IPVA, seguro, depreciação, manutenção programada, registros de classe, compra de aparelhos/mobília para casa) à vista e sem tirar os valores das receitas nos meses de pagamento destes custos.
[CONSOLIDADO] Uma das responsáveis por minha tranquilidade financeira é esta estratégia. Além de pagar estas contas à vista e juntar um dinheiro para gastos futuros importantes, posso rentabilizar este dinheiro. Tenho uma organização conservadora das finanças e priorizo esta tranquilidade.

3. Poupar, limitando os gastos em até 55% da receita mensal (já contabilizando a mensalização de gastos sazonais).
[CONSOLIDADO] O estabelecimento da estratégia citada acima, facilita a noção do que vou gastar mensalmente/anualmente. Os gastos têm girado em torno de 53% e tomo isso como uma vitória, já que há menos de dois anos atrás, esse percentual girava em torno dos 100%.

4. Investir 100% das receitas salariais extras.

[CONSOLIDADO] Por enquanto, 100% das receitas extras foram investidas.

5. Aproximar meu portfólio a uma carteira com os seguintes percentuais em cada tipo de ativo: 50% RF, 30% ações, 15% FII, 5% Criptomoeda.

[EM ANDAMENTO] Com mais de 80% do portfólio alocado em renda fixa, chego à metade do ano com um bom desafio: chegar a alocação desejada. Saí de 10% em renda variável em janeiro e estou avançando aos poucos, pois não quero fazer grandes movimentos. 
Com a renda extra, tive a oportunidade de adiantar a acumulação em renda variável. Veremos até o final do ano, como chegarei.

6. Definir a Carteira de Ações e dividir, inicialmente, os aportes em 5-7% entre as empresas.
[EM ANDAMENTO] Nos últimos dois meses, a queda da cotação das empresas na bolsa me impeliu a investir mais em determinadas empresas, como Itaú, Grendene e Kroton. Acredito que, no futuro, esta estratégia possa trazer alguns resultados. No resto, tenho buscado este objetivo.

7. Estudar e ampliar a carteira de Fundos de Investimentos Imobiliário, combinando com aportes em Ações ao longo do ano.
[EM ANDAMENTO] Venho estudando as ações mais do que os Fundos de Investimento Imobiliários. Por isso, tenho apenas um fundo na carteira. Quero entrar de uma forma mais tranquila e com um conhecimento mais consolidado. Pretendo, até o final do ano, comprar outros FII além do BRCR.

8. Aumentar a reserva de emergência para 5x os gastos, pensando em tê-la como reserva de emergência e de oportunidades. Caso utilize este fundo, repor o dinheiro assim que possível.
[EM ANDAMENTO] No início do ano estipulei uma meta para aumentar, paulatinamente, a reserva de emergência. Também a qualifiquei como reserva de emergência e de oportunidades, caso precisasse para comprar algum ativo em “promoção”. Não comecei a aumentar, mas, quando a utilizei, em maio, para comprar ações da M. Dias Branco, repus no mês seguinte. Serviu bem, por enquanto.

9. Avaliar a compra de criptomoedas, limitando a alocação em até 5% do portfólio.
[INICIAR] O único objetivo que estou procrastinando. No meu ver, este seria um bom momento para entrar. Porém, preciso estudar um pouco mais a ideia…mas que o preço sugere compra e a mão coça…

10. Ler e estudar dois livros sobre investimento e/ou vida financeira.
[CONSOLIDADO] Neste primeiro semestre, fiz a leitura de dois livros relacionados a investimentos e à vida financeira: “Mesada não é só dinheiro”, do Reinaldo Domingos, e “Pai rico, pai pobre”, de Robert Kiyosaki e Sharon Lechter. Esta meta foi um incentivo até para retornar a ler livros com mais frequência. Pretendo continuar e pegar outras obras para conhecer ainda mais o mundo das finanças.

Considerando que foi um semestre muito bom, consolidando ou encaminhando praticamente todos os objetivos, vejo que a organização das metas é fundamental para estabelecer e alcançar objetivos, com a reavaliação periódica aumentando o seu potencial. Facilita muito o caminho rumo à independência financeira.

Ainda vou pensar nas criptos, mas dentro daquilo que fico tranquilo.

Finalizo esta avaliação, trazendo o meu destaque do semestre: a efetivação do fundo mensal para enfrentar os gastos sazonais. Esta técnica possibilitou, como já coloquei em vários posts, a tranquilidade de trabalhar, investir sem precisar ficar contando dinheiro para pagar a conta quando ela chegar.

Já utilizei o fundo em algumas oportunidades e digo que foi a melhor coisa que aconteceu.




Um abraço a todos…