domingo, 15 de julho de 2018

Revisão dos Objetivos Financeiros de 2018



Conforme comentei anteriormente, aqui estou para realizar uma rápida avaliação do semestre, no qual encerrou-se no final do mês passado.

Penso que é importante pararmos para analisar o que está se passando em nossa vida. Desde que comecei a fazer isso sistematicamente, percebi uma grande evolução nos meus propósitos.

Então vamos lá…

Neste post aqui, apresentei os 10 objetivos que estabeleci financeiramente para 2018.

Recapitulando cada um, percebo a priorização que dei neste trimestre a esta área, resultando em um avanço em minhas finanças. O envolvimento com o blog tem ajudado, principalmente na visualização das metas.

Assim, comento-os, rapidamente, abaixo:

1. Atingir 70k de patrimônio líquido investido em Dezembro deste ano.
[EM ANDAMENTO] Neste ano, estabeleci uma meta de patrimônio dentro das possibilidades, diferente do ano passado. Acredito que chegarei próximo da meta, pois estou em 50k agora. Ainda faltam 20mil, com seis meses de acumulação, novas rendas extras e contas anualizadas já separadas.

2. Efetivar o fundo mensal para arcar com gastos sazonais (IPVA, seguro, depreciação, manutenção programada, registros de classe, compra de aparelhos/mobília para casa) à vista e sem tirar os valores das receitas nos meses de pagamento destes custos.
[CONSOLIDADO] Uma das responsáveis por minha tranquilidade financeira é esta estratégia. Além de pagar estas contas à vista e juntar um dinheiro para gastos futuros importantes, posso rentabilizar este dinheiro. Tenho uma organização conservadora das finanças e priorizo esta tranquilidade.

3. Poupar, limitando os gastos em até 55% da receita mensal (já contabilizando a mensalização de gastos sazonais).
[CONSOLIDADO] O estabelecimento da estratégia citada acima, facilita a noção do que vou gastar mensalmente/anualmente. Os gastos têm girado em torno de 53% e tomo isso como uma vitória, já que há menos de dois anos atrás, esse percentual girava em torno dos 100%.

4. Investir 100% das receitas salariais extras.

[CONSOLIDADO] Por enquanto, 100% das receitas extras foram investidas.

5. Aproximar meu portfólio a uma carteira com os seguintes percentuais em cada tipo de ativo: 50% RF, 30% ações, 15% FII, 5% Criptomoeda.

[EM ANDAMENTO] Com mais de 80% do portfólio alocado em renda fixa, chego à metade do ano com um bom desafio: chegar a alocação desejada. Saí de 10% em renda variável em janeiro e estou avançando aos poucos, pois não quero fazer grandes movimentos. 
Com a renda extra, tive a oportunidade de adiantar a acumulação em renda variável. Veremos até o final do ano, como chegarei.

6. Definir a Carteira de Ações e dividir, inicialmente, os aportes em 5-7% entre as empresas.
[EM ANDAMENTO] Nos últimos dois meses, a queda da cotação das empresas na bolsa me impeliu a investir mais em determinadas empresas, como Itaú, Grendene e Kroton. Acredito que, no futuro, esta estratégia possa trazer alguns resultados. No resto, tenho buscado este objetivo.

7. Estudar e ampliar a carteira de Fundos de Investimentos Imobiliário, combinando com aportes em Ações ao longo do ano.
[EM ANDAMENTO] Venho estudando as ações mais do que os Fundos de Investimento Imobiliários. Por isso, tenho apenas um fundo na carteira. Quero entrar de uma forma mais tranquila e com um conhecimento mais consolidado. Pretendo, até o final do ano, comprar outros FII além do BRCR.

8. Aumentar a reserva de emergência para 5x os gastos, pensando em tê-la como reserva de emergência e de oportunidades. Caso utilize este fundo, repor o dinheiro assim que possível.
[EM ANDAMENTO] No início do ano estipulei uma meta para aumentar, paulatinamente, a reserva de emergência. Também a qualifiquei como reserva de emergência e de oportunidades, caso precisasse para comprar algum ativo em “promoção”. Não comecei a aumentar, mas, quando a utilizei, em maio, para comprar ações da M. Dias Branco, repus no mês seguinte. Serviu bem, por enquanto.

9. Avaliar a compra de criptomoedas, limitando a alocação em até 5% do portfólio.
[INICIAR] O único objetivo que estou procrastinando. No meu ver, este seria um bom momento para entrar. Porém, preciso estudar um pouco mais a ideia…mas que o preço sugere compra e a mão coça…

10. Ler e estudar dois livros sobre investimento e/ou vida financeira.
[CONSOLIDADO] Neste primeiro semestre, fiz a leitura de dois livros relacionados a investimentos e à vida financeira: “Mesada não é só dinheiro”, do Reinaldo Domingos, e “Pai rico, pai pobre”, de Robert Kiyosaki e Sharon Lechter. Esta meta foi um incentivo até para retornar a ler livros com mais frequência. Pretendo continuar e pegar outras obras para conhecer ainda mais o mundo das finanças.

Considerando que foi um semestre muito bom, consolidando ou encaminhando praticamente todos os objetivos, vejo que a organização das metas é fundamental para estabelecer e alcançar objetivos, com a reavaliação periódica aumentando o seu potencial. Facilita muito o caminho rumo à independência financeira.

Ainda vou pensar nas criptos, mas dentro daquilo que fico tranquilo.

Finalizo esta avaliação, trazendo o meu destaque do semestre: a efetivação do fundo mensal para enfrentar os gastos sazonais. Esta técnica possibilitou, como já coloquei em vários posts, a tranquilidade de trabalhar, investir sem precisar ficar contando dinheiro para pagar a conta quando ela chegar.

Já utilizei o fundo em algumas oportunidades e digo que foi a melhor coisa que aconteceu.




Um abraço a todos…



Nenhum comentário:

Postar um comentário